AS PRETAS ESTÃO COM LULA E HADDAD 13

Como faço pARA GANHAR VOTOS PARA HADDAD E LULA 13?

Criamos um espaço para que possamos nos organizar! A gente ajuda, com pessoas, com material e com nossa disposição de eleger Lula e mudar o Brasil!

Conheça as pretas

Monica Seixas

Foi eleita em 2018 como Deputada Estadual pela Mandata Ativista, primeiro mandato coletivo do Estado de São Paulo, recebendo aproximadamente 150 mil votos, ficando entre as 10 candidaturas mais votadas. Na Alesp se posicionou como um dos mandatos mais ativos e que mais propôs Projetos de Lei e atividades, sempre priorizando pautas relacionadas ao ecossocialismo, bem como a pessoas em situação de vulnerabilidade, seja racial, social ou de gênero.

Ana Laura Oliveira

Mãe, artista, do candomblé, coordenadora da Rede Emancipa movimento social de educação popular. É militante do movimento cultural e periférico, do movimento negro e feminista. Em sua trajetória já atuou em diversas frentes, entre elas no movimento de juventude com estudantes secundaristas, participou das ocupações das escolas em 2015, atuou na construção de saraus nas praças de Itapevi. Além disso, é chefe de gabinete no mandato da vereadora Luana Alves, de São Paulo.

Karina Correia

Covereadora no mandato Ativoz em Osasco, foi a segunda candidata a vereadora mais votada do PSOL nas últimas eleições, com 1661 votos. É estudante de psicologia e militante do feminismo negro, da saúde mental, da segurança alimentar e da dignidade das famílias periféricas.

Letícia Chagas

Estudante de direito, militante do coletivo Juntos! e coordenadora do DCE Livre da USP. Iniciou sua militância em Campinas, quando era estudante do ensino fundamental, defendendo o protagonismo dos jovens nas decisões políticas. Integrou o Grêmio Estudantil da ETECAP e já na Faculdade de Direito do Largo São Francisco (USP) foi eleita a primeira presidenta negra do Centro Acadêmico mais antigo do Brasil. Sua luta no movimento estudantil traz a necessidade de enegrecer a universidade pública.

Najara Costa

Mãe, professora, socióloga, mestra em ciências Humanas e sociais, doutoranda em Humanidades, Direitos e outras Legitimidades pela USP e autora do Livro “Quem é Negra/o no Brasil?”. Foi candidata à prefeita em Taboão da Serra em 2020, sendo a única mulher candidata e ficando em quarto lugar na disputa, entre nove candidatos, alcançando 8.734 votos. Como ativista compõe o debate antirracista e a luta pelos direitos das mulheres.

Poliana Nascimento

Professora de Língua Portuguesa, sindicalista e militante da educação e do movimento negro. É coordenadora da APEOESP Litoral Sul e conselheira estadual da mesma entidade. Já foi candidata a prefeita e vereadora em Itanhaém, além de uma atuação incansável junto aos servidores em defesa do serviço público, sobretudo para a população periférica.

Rose Soares

Moradora de Barueri e mãe solo, já foi conselheira tutelar na cidade, onde começou sua militância em defesa dos direitos das crianças e adolescentes, hoje é servidora pública municipal, atuando na educação infantil. Integra o coletivo Juntas por Barueri e ao lado de 7 mulheres, teve a 7ª candidatura mais votada da cidade, ficando na frente de outros vereadores que foram eleitos.

Nosso Manifesto

É A VEZ DAS PRETAS OCUPAREM OS ESPAÇOS

No Brasil e no mundo, vivenciamos nos últimos anos, um verdadeiro levante da população negra contra o racismo. As mais afetadas por esse processo, as mulheres negras, têm assumido a linha de frente da luta por justiça, já que são 29% da população brasileira e responsáveis por chefiar 63% das famílias em situação de vulnerabilidade. Ou seja, quando o valor dos alimentos aumenta, são elas que precisam se desdobrar para colocar comida na mesa e garantir dignidade para suas famílias. Foi por isso que o PSOL foi um dos partidos responsáveis por garantir auxílio emergencial em dobro para as mulheres chefes de família. Apesar dessa realidade, as mulheres negras ocupam apenas 2% do parlamento federal, enquanto na Assembleia Legislativa de São Paulo, em 187 anos, apenas 4 mulheres negras passaram pela casa. Está na hora de virar esse jogo e eleger uma bancada com sete PRETAS que representam nossa força, nossa resiliência e nossa luta enquanto povo do estado do estado de São Paulo, que não se vê mais representado pelos coronéis de sempre. É a vez das PRETAS! Elas nos representam!

QUEM SÃO AS PRETAS?

São Mulheres PRETAS do PSOL, lideranças em seus territórios e enraizadas em movimentos sociais. Estão juntas em uma pré candidatura-movimento que tem o objetivo de fortalecer a luta das periferias, a defesa radical da vida, as lutas da juventude, negritude, das mães e das trabalhadoras. São militantes do Feminismo negro e popular, antiracistas que vêm pra abalar as estruturas. Enfrentando o bolsonarismo e o tucanato.

VIDAS NEGRAS E PERIFÉRICAS IMPORTAM

Sendo um dos últimos países do mundo a “abolir” a escravidão, muitas marcas desse processo histórico permanecem presentes na sociedade, e portanto, influenciam diretamente no cotidiano da população negra, que segue vulnerabilizada e privada de direitos fundamentais. A política, que tem sido o espaço de legitimação dessa desigualdade, tem que servir para transformação dessa realidade. Queremos ocupar a política para lutar por um outro modelo de segurança pública, que não mate nossos filhos, para que o sistema de educação seja capaz de dar esperança para os jovens periféricos, para que não nos falte trabalho digno diante de uma crise que recai sobre nossas costas, para que nossa cor e nosso CEP não aumente nossa chance de morrer em uma pandemia onde faltam leitos na saúde pública. Queremos o bem viver. Queremos nossos direitos respeitados!

DERROTAR BOLSONARO E O SUA POLÍTICA DE MORTE NO ESTADO DE SP

Nossa principal batalha nessas eleições será a de tirar o pior presidente da história do Brasil do poder. Com Bolsonaro, o Brasil voltou para o mapa da fome, a inflação não para de crescer e as condições de vida do nosso povo só pioram. O descaso desse governo com a saúde pública provocou a morte de mais de 600 mil brasileiros, causando um profundo luto, sobretudo nas famílias mais pobres, onde se concentram as mortes. A ameaça de Bolsonaro à democracia e aos direitos básicos que a população desse país conquistou através de muita luta não pode ficar barato. Queremos derrotar Bolsonaro nas urnas e enterrar o bolsonarismo no Estado de SP. Ele não, Ele Nunca! Elas sim! PRETAS 50900 sim!

pretas na mídia

Nossas propostas

Material de Campanha

Acesse nossos materiais e envie para seus contatos!

Quem Apoia e constrói